Windows Store não atrai usuários do Windows 10, reclama desenvolvedor

Você é usuário do Windows 10? Qual foi a última vez que entrou na Loja de Aplicativos para buscar algo? Aliás, você já entrou na Loja de Aplicativos da Microsoft? – É impossível negar que a aceitação da Loja, a Microsoft Store, é baixíssima entre os seus usuários, ainda mais com o constante declínio do Windows Phone/Windows 10 Mobile que a cada dia alcança em mais mercados a fatia de 0% das compras de smartphones novos.

O fato é que é ainda muito incomum para os usuários de PC a utilização de aplicativos de forma semelhante ao que acontece nos smartphones. É muito difundida a ideia de que para ter acesso as redes sociais você vá ao seu navegador de preferência, ou que para escrever um texto você vá utilizar o Office, ou que se você precisa jogar algo vá a Steam, por exemplo. Com isso a necessidade de ir à Loja de Aplicativos é mínima.

A Microsoft vem tentando atrair mais pessoas para a sua Loja com algumas atitudes, como a facilitação do desenvolvimento de aplicativos para sua plataforma, através dos Progressive Web Apps, e com do lançamento do Windows 10 em modo S, versão do sistema que vai embarcada em alguns dos equipamentos recentemente lançados pela marca (porém com a possibilidade de upgrade para a versão comum), e que permite apenas aplicativos da Loja. Afinal, qual a melhor forma de fazer o usuário usar algo se não o forçando? Haha.

Mas essas iniciativas demoram consideravelmente para refletir no mercado (se refletirem), e o entusiasmo dos desenvolvedores é cada vez menor, como é o exemplo da Webrox, desenvolvedora francesa multiplataforma dona de uma série de aplicativos, entre eles o Tubecast, com mais de 1 milhão de downloads na Loja. Em entrevista ao site Mspoweruser o CEO da Webrox, Stéphane Graziano, comentou sobre o assunto, “não há absolutamente nenhuma adesão a Loja do Windows, mesmo com o crescimento dos usuários, porque ninguém se importa”. Graziano reconhece que o Windows é muito forte em algumas áreas, mas que quando se trata de atividades rotineiras os aplicativos da loja tendem a ser menos poderosos do que os que podem ser baixados de forma gratuita via web.

Graziano conclui dizendo que “Não há chance que a Loja do Windows funcione, a boa notícia é que o Satya entendeu isso há um tempo e a Microsoft não irá perder tanto dinheiro, e isso é o que um CEO deve fazer”.

Com a conferência da Microsoft para desenvolvedores, a BUILD 2018, acontecendo de hoje (7) a 10 de maio, voltada aparentemente a áreas como inteligência artificial, realidade aumentada, serviço de nuvem e novidades visuais no Windows, será que Graziano está certo?

Autor: Philipe Farias


Fonte: Mspoweruser