Google Shopping agora mostra informações sobre o estoque de lojas

Com a proximidade do Natal, os consumidores aceleram o passo para dar conta de todos os presentes - 38% deixa para fazer as compras em cima da hora - e aproveitar ao máximo idas a shoppings e lojas de rua. Mesmo no mundo conectado de hoje, muitos deles ainda recorrem ao telefone para descobrir se aquela calça ou aquele smartphone está em estoque e, assim, não dar viagem perdida.

A partir de hoje, uma nova solução do Google Shopping permitirá que os brasileiros tenham um resposta on-line para essa dúvida, direto na Busca. Ao digitar a categoria de um produto, o usuário verá resultados no carrossel do Shopping com este selo:

g1.png

Indicando a disponibilidade e a distância até a loja mais próxima da sua geolocalização, como no exemplo abaixo: 

g2-2.png

Se a pesquisa for por um produto específico, os resultados apareceram em formato de ficha: 

g3-2.png

Chamada Local Inventory Ads, ou LIA, na sigla em inglês, a nova ferramenta faz a conexão entre os anúncios e o estoque físico dos varejistas parceiros da iniciativa. Ao clicar em um produto, o usuário é levado para uma segunda tela (landing page) otimizada para carregamento rápido em celulares e com informações como endereço da loja , botões de ação como “Ligar”, “Rotas” e  “Comprar on-line” e até mesmo links para outras filiais que tenham o modelo está disponível.

g4-2.png

Para garantir que as informações do estoque estejam atualizadas, os varejistas atualizam o sistema, pelo menos, uma vez ao dia e a plataforma faz classificação da disponibilidade de acordo três opções, que ficam visíveis para os consumidores:

  • Em estoque - o produto está disponível em uma quantidade que costuma ser suficiente para atender a demanda regular daquela loja;
  • Estoque limitado - há poucas unidades disponíveis e o estoque pode acabar se o consumidor demorar muito para ir à loja;
  • Sem estoque - o produto está indisponível.

O LIA já está disponível nos anúncios de Shopping de dez grandes varejistas brasileiros - FastShop, Saraiva, Livraria Cultura, Magazine Luiza, Leroy Merlin, C&A, Beauty Box, do grupo O Boticário, Havan, Centauro e Lojas Renner - e a lista deve aumentar no início do ano que vem.

A realidade é que hoje o consumidor interage mais com as marcas no digital do que pessoalmente no mundo físico. O lançamento do LIA faz parte de um esforço contínuo do Google para trazer soluções de O2O, que favorecem a conexão entre o on-line e o off-line, ao mercado brasileiro, impactando varejistas e usuários. O país é o sétimo no mundo a receber a solução e o primeiro na América Latina, atrás somente de Estados Unidos, Reino Unido, Japão, França, Austrália e Alemanha.

Segundo pesquisa da Forrester, a influência do on-line sobre o varejo físico será cada vez maior. Em 2018, 25,6% das vendas off-line, excluindo o setor de Alimentos e Bebidas, terão alguma influência da jornada digital do consumidor. Em 2021, esse índice será de 35,6%.

“As pessoas são duas vezes mais propensas a visitar um estabelecimento se souberem que o produto desejado está disponível. Em um cenário no qual o tráfego de pessoas nas lojas tem caído bastante, soluções como o LIA são fundamentais para captar um consumidor cada vez mais conectado e exigente. É como se os varejistas pudessem oferecer uma vitrine virtual do que está disponível nas lojas, praticamente em tempo real”, explica Gustavo Pacheco, líder de Omnichannel do Google Brasil.


Fonte: Google Brasil