Huawei vende mais e ultrapassa Apple no mercado mundial de smartphones

Com a primeira queda registrada no final de 2017, o mercado mundial de smartphones continua a mostrar um declínio quando comparado ao ano passado. Enquanto que no segundo trimestre do último ano as fabricantes registraram vendas em torno das 348 milhões de unidades, os números vistos em pesquisas recentes não são animadores e mostram uma queda de 1,8% das vendas no segundo trimestre de 2018, com 342 milhões de unidades vendidas.

Enquanto que para algumas empresas esses últimos períodos tem sido um verdadeiro pesadelo, como é o caso da Samsung que tem encarado péssimas vendas com o Galaxy S9, outras companhias acabaram se destacando, como é o caso da Huawei, que cresceu cerca de 40% no último trimestre – quando comparado a mesma parte do ano passado, de acordo com um levantamento da IDC Worlwide.

A companhia chinesa vendeu cerca de 35,5 milhões de unidades dos seus dispositivos no terceiro trimestre de 2017 e esse ano tem superado todas as suas barreiras, com 54,2 milhões de unidades vendidas na mesma fase. Esse crescimento rendeu a empresa o posto de segunda colocada em participação de vendas no mercado global, ficando abaixo apenas da Samsung e ocupando um lugar de destaque acima da Apple, que não ficava fora das duas primeiras colocações desde o segundo trimestre de 2010.

idc-phone-shipments-q2-2-4.png
Imagem: IDC Worldwide

Com planos de vender pelo menos 200 milhões de unidades dos seus aparelhos até o final desse ano, a Huawei mostra que não está para brincadeira e planeja superar a Apple definitivamente em 2019 quando o assunto é participação global. As vendas da companhia só tendem a subir, uma vez que a sua subsidiaria, a Honor, registrou um aumento de 150% nas vendas dos seus dispositivos, que entregam especificações topo de linha por um preço mais acessível.

No entanto, a empresa chinesa pode encontrar problemas a frente graças a difícil entrada no mercado norte americano, onde Apple e Samsung lideram e os consumidores trocam os seus smartphones por modelos novos com mais frequência. O presidente do país, Donald Trump, tem emitido uma série de medidas protecionistas e isso pode gerar problemas não apenas para a Huawei como para outras fabricantes chinesas como Oppo, Xiaomi e Vivo, por exemplo.

Autor: Philipe Farias

Fonte: Wccftech