Em teste de “respiração”, iPhone X, Galaxy S9, LG G7, P20 Pro e Xperia XZ2 “caem” na piscina e só um deles consegue sair inteiro

Da mesma forma que smartphones não se dão bem com quedas, o mesmo se repete para o contato com a água. Por mais que os fabricantes adicionem recursos e cumpram certificações, o mais indicado mesmo é manter os aparelhos longe de piscinas, pias, vasos ou qualquer recipiente que tenha algum tipo de líquido.

Apesar dos principais smartphones topo de linha do mercado contarem com a certificação IP67 ou IP68, as fabricantes fazem questão de não colocar “a prova d’água” nas especificações de seus aparelhos e não costumam estender as suas garantias para danos por entrada de água.

A certificação IP de um aparelho eletrônico indica o quanto as suas entradas estão protegidas e determina o nível de resistência desse aparelho a água ou a poeira. A sigla da certificação (IP) vem acompanhada de dois dígitos, sendo que o primeiro, que vai de 1 a 6, corresponde a sua resistência a poeira e o segundo, que vai de 1 a 8, corresponde a sua resistência a água.

Mas mesmo que a indicação primordial seja deixar o aparelho longe da água, acidentes acontecem e saber se o seu aparelho topo de linha com certificação IP67 ou IP68 sobreviverá a um mergulho, sem necessariamente ter que pagar literalmente por isso, pode ser uma informação útil.

Para evitar que você prove do seu próprio bolso, o Youtuber Matthew Moniz fez um experimento um pouco extremo com 5 aparelhos topo de linha e chegou a conclusões alarmantes se você for proprietário de algum deles. No teste, Moniz colocou os smartphones totalmente submersos em uma piscina e o vídeo (em inglês) você pode conferir logo abaixo.

Os aparelhos postos à prova d’água foram:

  • iPhone X: certificação IP67;
  • Galaxy S9+: certificação IP68;
  • LG G7: certificação IP68;
  • Huawei P20 Pro: certificação IP67;
  • Xperia XZ2: certificação IP68.


Após ter sido mergulhado na piscina o iPhone X aparentou inicialmente ter mantido o funcionamento das suas principais funções, mas logo foi notado que o 3DTouch, recurso da Apple que permite toques com pressão na tela, havia parado de funcionar. E não parou por aí, pois algumas horas depois o Youtuber relatou que o aparelho havia “morrido completamente” e nenhum dos métodos utilizados, como colocar o smartphone no arroz, funcionou.

A mesma história se repetiu no Galaxy S9+, que saiu com tudo funcionando da piscina, mas parou de funcionar completamente horas depois do mergulho.

Os resultados do teste começaram a melhorar com o LG G7, que apresentou bom funcionamento de todos os componentes logo a sair da água e não teve nenhuma parada fatal horas depois. No entanto, Moniz diz que após três dias de uso notou que o microfone do aparelho havia pifado e que se o smartphone fosse utilizado para uma chamada telefônica a pessoa do outro lado não iria conseguir ouvir.

No Huawei P20 Pro o resultado foi de certa forma parecido e o aparelho não apresentou panes gerais, porém, o autofalante de chamadas parece ter sido comprometido e as ligações começaram a soar mais baixas do que anteriormente.

O título de grande sobrevivente ao teste ficou para o final e foi para o Xperia XZ2. De acordo com o Youtuber o aparelho topo de linha da Sony continua a funcionar em toda a sua plenitude e não apresenta nenhum tipo de defeito ou lapso de funcionalidade.

Vale ressaltar que as condições do teste não foram muito esclarecidas e questões como tempo de submersão de cada aparelho ou taxa de cloro da água não foram comentadas, sendo que podem influenciar diretamente em um tipo de teste como esse. Entretanto, o teste serve para alertar os usuários de alguns smartphones e provar que o Xperia XZ2 pode suportar muito mais do que simples respingos de água sem comprometer o seu funcionamento.

Autor: Philipe Farias