Criador do Android põe sua empresa a venda e cancela próximo smartphone

As coisas parecem estar meio conturbadas dentro da Essential, startup fundada pelo criador do Android Andy Rubin. Isso, pois graças a uma fonte ouvida pelo Bloomerg, a empresa estaria a venda e o seu próximo smartphone, o possível sucessor do Essential Phone, havia sido cancelado.

A Essential Products Inc é uma startup que foi fundada no final de 2015, e que arrecadou mais de $ 300 milhões de dólares de diversos investidores, inclusive a Amazon. A empresa deu seus primeiros passos para o grande mercado no ano passado com o lançamento de seu produto carro chefe, o smartphone Essential Phone, e outros produtos menores como uma câmera 360, por exemplo.

O smartphone lançado pela empresa causou inicialmente um certo alvoroço no mercado, pois trazia uma proposta diferente, assinada pelo criador do Android, e que inicialmente poderia trazer uma certa frente aos aparelhos topo de linha das outras empresas.

O problema foi que isso ocorreu apenas no primeiro instante, e a junção de problemas no aplicativo de câmera, bugs no sistema, e problemas na tela, unido ao fato do aparelho custar inicialmente $ 699 dólares, derrubaram a procura por conta do consumidor, assim como as vendas, que foram de apenas 20 mil unidades. A Essential então fez algumas quebras no preço, chegando a $200 dólares, e conseguiu subir esse número para 150 mil unidades vendidas.

Alguns consumidores, e até mesmo uma parte da mídia, disseram que esses problemas eram até aceitáveis frente ao fato de que era o primeiro smartphone da companhia, e que esperavam que os pontos fortes, como o design e o Android puro fossem mantidos, e que os pontos fracos fossem revistos em uma versão futura do aparelho, a qual esperava-se o lançamento até o final desse ano, e que provavelmente, de acordo com a fonte, não acontecerá mais.


essential-1-720x428.jpg
Essential Phone - um dos smartphones do ano passado com maior repercussão entre os entusiastas de tecnologia


No período de um pouco menos de um ano que se passou desde o lançamento do smartphone, a companhia enfrentou algumas demissões, de engenheiros a executivos do alto escalão, e até mesmo um afastamento temporário de Rubin por má conduta no ambiente de trabalho.

Como se já não bastasse todo esse contexto para complicar o futuro da empresa, de acordo com a fonte do Bloomerg, a Essential contratou o Credit Suisse Group AG, banco suíço que oferece diversos serviços financeiros, para aconselha-la em uma possível venda.

A negociação incluiria toda a tecnologia desenvolvida pela empresa, do Essential Phone até os dispositivos inteligentes voltados para automação residencial, patentes, e até mesmo os funcionários da Essential, muitos, ex-engenheiros do Google e da Apple.

Ainda de acordo com a fonte, que prefere não ser exposta, alguns pretendentes a compra surgiram, porém, não foi revelado por ela o preço a qual a empresa seria vendida. É valido lembrar, no entanto, que a empresa teve o seu valor calculado em $ 1 bilhão de dólares no ano passado de acordo com a Equidate.

Quando perguntadas sobre o caso, tanto a Essential quanto o Credit Suisse não fizeram nenhum tipo de comentário. Em postagens recentes em seu Twitter, Rubin disse que “Sempre temos vários produtos em desenvolvimento ao mesmo tempo e adotamos o cancelamento de alguns em favor de outros que achamos que serão sucessos maiores”, disse ainda que “Estamos colocando todos os nossos esforços em direção ao nosso futuro, com produtos modificadores, que incluem produtos móveis e domésticos”.

Maiores informações sobre essa história devem surgir em breve, e a nós, entusiastas de tecnologia, só resta esperar.

Autor: Philipe Farias

Fonte: Bloomerg