Pesquisa revela o que se passou no mercado de smartphones nos últimos 7 anos

A empresa Statista, autora de diversas pesquisas estatísticas sobre vários aspectos do mercado mundial de smartphones, divulgou recentemente um gráfico que pode ser alarmante para o futuro do ramo. Na pesquisa, a empresa comparou dados registrados sobre o mercado de smartphones em 2010 com dados coletados ano passado (2017). Para você se situar brevemente, em 2010 fazia apenas 3 anos que o primeiro iPhone havia sido lançado, 2 anos que o Android tinha aparecido pela primeira vez no HTC G1, e não era difícil, por exemplo, encontrar uma pessoa com um celular da Nokia rodando Symbian, o finado sistema da empresa finlandesa. Enfim, o mundo era bem diferente de hoje em dia.


chartoftheday-smartphone-59.jpg
Gráfico da empresa Statista mostra o mercado de smartphones nos anos de 2010 e 2017


O problema aparece quando os dados coletados nos dois períodos são comparados. Em 2010, o mercado mundial de sistemas operacionais para smartphones era relativamente equilibrado, o Android era presente para 22,7% dos usuários, o iOS para 15,7%, o Windows Phone para 4,2%, o BlackBerry para 16%, e os outros 41,5% dos usuários possuíam em seus celulares os sistemas OEMs, que são os sistemas das próprias fabricantes pré-instalados nos aparelhos, como o já citado Symbian da Nokia ou o Sistema Proprietário da Sony Ericsson que rodava no W580i (saudades, haha), por exemplo.

Os dados de 2017, apenas 7 anos depois, mostram um mercado totalmente diferente e polarizado, um duopólio. O Android domina e ocupa 85,9% dos smartphones dos usuários, seguido pelo iOS com 14%, e apenas 0,1% para todo o resto dos sistemas operacionais, que apesar de estarem “escondidos”, existem em grande variedade. Ou seja, em 7 anos, sistemas que ocupavam uma certa parcela do mercado desapareceram, como BlackBerry e Windows Phone, sendo que o número de vendas aumentou absurdamente, eram 297 milhões de unidades vendidas em 2010, contra 1,53 bilhões registrados em 2017. 


global-smartphone-sales-25.jpg
Primeira queda da história nas vendas de smartphones - comparativo entre os últimos trimestres de 2016 (4Q16) e 2017 (4Q17)


Porém, mesmo com todo esse crescimento em 7 anos, foi registrada pela primeira vez na história uma queda global na venda de smartphones no último semestre do ano passado, mesmo com tantos lançamentos. Será que essa queda foi graças a uma movimentação errada das marcas em colocar preços absurdos, como os $999 dólares inicias cobrados no iPhone X e no Galaxy Note 8, por exemplo, ou o mercado está começando a saturar e os usuários estão cansados de sempre verem as mesmas empresas trazendo inovações que logo serão copiadas por suas rivais?

O ponto levantado aqui não é a qualidade dos sistemas, que fique bem claro, ambos os sistemas são excelentes e costumam atender muito bem as expectativas dos seus usuários. O grande problema é, em comparação, a falta de opções. Uma verdadeira homogeneização, que pode trazer, a longo prazo, um monopólio onde apenas uma empresa dita novas tecnologias, e a medida que bem entende. Um péssimo passo para o avanço.

Mas como não temos bola de cristal e nem máquina do tempo, será interessante acompanhar o rumo que esse grande mercado pode tomar nos próximos 7 anos. A única coisa que esperamos é que o melhor, para os usuários, aconteça.

Autor: Philipe Farias