As TIC podem fazer diferença na prevenção e recuperação de desastres naturais

Ainda que os diferentes países que compõem a região da América Latina contem com geografias diferentes que apresentam diversos desafios, a possibilidade de qualquer catástrofe confirma um alerta constante para as administrações de todos eles. Para poder reduzir os níveis de exposição e vulnerabilidade, é necessário um trabalho multisetorial pelas administrações de forma preventiva, ou seja, que exista previsão e planejamento por parte das autoridades para catástrofes futuras, o que inclui diferentes setores de maneira que possam trabalhar conjuntamente na ajuda à população.

Neste contexto, as tecnologias da informação e das comunicações (TIC) se apresentam como um dos setores com possibilidades de contribuir com melhores condições aos cidadãos afetados pelas catástrofes naturais, de acordo com o estudo “TIC durante Desastres Naturais na América Latina”, recentemente publicado pela 5G Americas.

O relatório destaca o valor de contribuição das TIC, e em particular, as telecomunicações móveis para a comunicação, alertas e prevenção ante a possibilidade de desastres naturais, assim como na coordenação para a assistência durante emergências e em tarefas de recuperação posteriores. É interessante reforçar que, além dos serviços diretos para as pessoas afetadas enquanto comunicações e acesso à informação, as comunicações móveis também são fundamentais para o resto dos setores que colaboram em assistência.

É preciso notar também que a infraestrutura dos diferentes serviços associados às TIC, em particular as telecomunicações, são afetadas neste tipo de catástrofe. Esta situação demanda ao setor um esforço em dobro, pois não apenas coloca o serviço em benefício da população, mas também requer que se realize preventivamente os trabalhos necessários para reestabelecer seu funcionamento.

“A capacidade de prevenir e atuar rapidamente e ordenadamente ante situações de desastres é fundamental para conter os danos causados e ajudar os cidadãos afetados a recompor de maneira eficiente suas vidas. Estima-se que no mundo, entre 2005 e 2015, mais de 700 mil pessoas perderam a vida, 1,4 milhões sofreram ferimentos e 23 milhões ficaram sem teto devido a um desastre natural. Para reduzir os níveis de exposição e vulnerabilidade ante este tipo de emergência, é necessário que exista previsão e planejamento envolvendo diversos setores e que se tome real dimensão da importância das comunicações dentro dessas estratégias”, indicou Jose Otero, Diretor da 5G Americas para América Latina e Caribe.


review.jpg
 

Fonte: 5G Americas